Contracepção de Longo Prazo

4 em cada 5 adolescentes engravidam sem planejar

Terminar o colégio, fazer faculdade, pós-graduação, intercâmbio, conseguir uma promoção no trabalho, construir uma carreira, casar e ter tempo para curtir a vida a dois. Bom, esses são só alguns dos acontecimentos e conquistas que fazem parte da trajetória de vida que uma adolescente deseja ter. Mas o que fazer quando todos esses planos são interrompidos por uma gravidez não esperada?

No Brasil, 1 em cada 2 mulheres ainda engravidam sem planejar, e esse número é ainda maior no caso de adolescentes, quando 4 em cada 5 não esperavam pelo bebê.

Apesar de existirem tantos métodos contraceptivos disponíveis, esse problema persiste porque mais de 50% das brasileiras em idade fértil e sexualmente ativas não utilizaram métodos contraceptivos. Com isso, 45% das gestações não planejadas ocorrem pela falta do uso de anticoncepcionais ou pelo uso incorreto deles.

Das mulheres que optam pela pílula, 65% esqueceram de tomá-la ao menos uma vez nos três primeiros meses de uso, sendo que a taxa de falha de ação contraceptiva nesses casos chega a 18%.

Mas esquecer de tomar a pílula é algo muito comum, principalmente na adolescência. Nesses casos a melhor forma de impedir uma gestação é optar pelos métodos contraceptivos de longo prazo, como o DIU de cobre e o DIU hormonal, dispositivos intrauterinos que possuem ação contraceptiva de até cinco anos, além dos implantes hormonais que são introduzidos sob a pele do braço, podendo agir por até três anos. Além de práticos, por não precisar se lembrar de tomar todos os dias, esse tipo de anticoncepcional apresenta uma taxa de eficácia 20 vezes maior do que a pílula.

Converse com seu médico e opte por um anticoncepcional que deixe você e seus planos sempre seguros!

Assista ao vídeo conheça sobre o cenário das gestações no Brasil.

Fonte:
Vídeo – A Escolha do Método Contraceptivo (https://www.youtube.com/watch?v=cvCJRGh-OCw)

L.BR.MKT.06.2015.3535