Acúmulo de gordura abdominal

Gordura Abdominal

É o acúmulo de gordura na região abdominal, ou seja, a região da barriga. Há basicamente dois tipos dessa gordura: visceral e subcutânea. A visceral é quando há gordura nas vísceras do abdômen. É considerada a mais perigosa, pois fica próxima aos órgãos vitais e do sistema circulatório. Já a subcutânea é aquela que fica sob a pele.

Para saber se a gordura abdominal está prejudicando a saúde, é calculada a circunferência do abdômen e o Índice de Massa Corporal (IMC). A região é medida utilizando-se a fita métrica.

Confira a sua circunferência abdominal e os possíveis riscos à sua saúde:

Circunferência Abdominal – Medidas de Risco

Risco aumentado

Risco significantemente aumentado

Homens

Maior ou igual a 94 cm

Maior ou igual a 102 cm

Mulheres

Maior ou igual a 80 cm

Maior ou igual a 88 cm

A presença de gordura em excesso no abdômen sempre foi um indicador de sobrepeso, mas agora ela está ganhando ainda mais atenção de médicos especializados. Isso porque pesquisas mostram que esse tipo de gordura está diretamente relacionado às alterações do metabolismo e ao maior risco de doenças cardiovasculares, como por exemplo, a resistência à insulina (o diabetes), a hipertensão e o infarto do miocárdio. Mulheres que estão na menopausa possuem mais risco de ter gordura abdominal em excesso.

Acredita-se que o maior perímetro de cintura está relacionado com o aumento de risco de sofrer doenças cardiovasculares, independente do peso ou idade do paciente.

PREVENÇÃO

Para prevenir as doenças cardiovasculares e o diabetes, é necessário evitar o excesso de gordura abdominal. Confira abaixo algumas dicas para diminuir a gordura nesse local.

  • Faça exercícios aeróbicos diariamente por 20 a 30 minutos. Caminhadas, natação e bicicleta são algumas das opções;
  • Faça  entre cinco ou seis pequenas refeições por dia,  em intervalos médios  de três horas, sempre se lembrando de comer com moderação e escolher com cuidado o que comer;
  • Atenção na mastigação dos alimentos;
  • Coma frutas, verduras e alimentos ricos em fibras;
  • Reduza o consumo de alimentos gordurosos, como frituras (por exemplo, batatas fritas) e salgadinhos industrializados. Evite também aqueles alimentos com muito açúcar, como bolos e tortas, doces e refrigerantes;
  • Não exagere no consumo de sal ou de bebidas alcoólicas;
  • É recomendável ingerir 2 litros de água por dia.

Fonte: Dr. Sergio dos Passos Ramos CRM 17.178 – SP