É POSSÍVEL ENGRAVIDAR DEPOIS DA LAQUEADURA?

A laqueadura é um procedimento de esterilização definitiva da mulher que consiste em uma cirurgia simples, realizada por uma pequena incisão abdominal, que fecha as tubas uterinas impedindo a passagem do óvulo e do espermatozoide por meio do corte e amarração das duas extremidades das tubas uterinas.

 

Esse método não interfere na libido ou nas relações sexuais, nem apresenta efeitos colaterais no longo prazo. Além disso, caso a mulher ainda esteja amamentando, a produção de leite não é prejudicada.

 

Porém, a decisão de realizar a laqueadura deve ser tomada com muita cautela. Muitas mulheres sofrem depressão após realizarem o procedimento por não conseguirem absorver a ideia de não serem mais férteis, e se sentem menos femininas por isso. Outro motivo importante de arrependimento é quando as mulheres perdem algum filho ou trocam de parceiro e desejam engravidar novamente.

 

As mulheres que se arrependem do procedimento podem recorrer à reversão da laqueadura que, apesar de não ser simples, é possível em 80% dos casos. A condição necessária para que a reversão seja realizada com sucesso é que o final das tubas tenha sido preservado quando foi realizado o procedimento e que a tuba uterina não esteja dilatada. Essa cirurgia é realizada por laparoscopia, na qual são feitos pequenos cortes para a inserção de instrumentos e microcâmera que auxiliará no momento de religar as trompas.

 

É possível engravidar depois da laqueadura?

A recuperação da fertilidade só será confirmada 30 dias após a operação, quando tiver ocorrido o ciclo menstrual completo. Apesar das chances de gravidez reduzirem até 20% após a reversão da laqueadura, as pacientes que passam pelo procedimento podem conseguir engravidar dentro do período de 12 meses. Vale ressaltar que não são todos os ginecologistas que realizam a reversão da laqueadura e que nem sempre isso é possível. por isso, considera-se a laqueadura como sendo um método irreversível.

 

Antes de optar pela laqueadura como método de contracepção de longo prazo, converse com seu ginecologista sobre outras opções de longo prazo, que são altamente eficazes e facilmente reversíveis como o implante hormonal e o DIU (dispositivo intrauterino) medicado com hormônio ou de cobre, métodos que oferecem segurança e tranquilidade às pacientes que desejam evitar uma gestação não planejada, por 3, 5 ou até 10 anos.

 

Fonte:
HATCHER, R.A.; RINEHART,W.; BLACKBURN, R.; GELLER, J. S.; e SHELTON, J. D.; Pontos Essenciais da Tecnologia de Anticoncepção. Beltimore, Escola de Saúde Pública Johns Hopkins, Programa de Informação de População, 2001.

PERGUNTAS FREQUENTES

Qual é o melhor tratamento de reversão da laqueadura?

Para mulheres que fizeram a laqueadura só há dois caminhos a seguir: cirurgia de reanastomose das tubas e fertilização in vitro ou ICSI.

É normal me sentir enjoada, com desconforto nos seios e ter sangramentos (spotting) quando comecei a tomar pílula?

No início do uso da pílula anticoncepcional é comum ocorrerem alguns desconfortos como enjoo, incômodo nos seios e pequenos sangramentos. Recomenda-se não tomar a pílula de estômago vazio para amenizar estes sintomas. Sobre os sangramentos de escape ou spotting são mais comuns em mulheres que usam pílulas com baixa dosagem hormonal, que no início ainda não fornecem estímulo hormonal suficiente para cicatrizar a camada interna do útero logo após o término da menstruação. Esses sintomas variam de mulher para mulher e devem cessar em poucos meses, pois trata-se de um processo de adaptação do corpo ao hormônio que está sendo ingerido, e isso é normal. Caso esses sintomas não desapareçam em três meses, procure seu ginecologista.

Onde posso saber mais sobre o DIU Hormonal?

Para saber mais sobre o tratamento com o DIU Hormonal, consulte seu médico. Ele poderá fornecer informações adicionais a você e a seu parceiro.

Quando não devo usar o DIU Hormonal?

O DIU Hormonal não deve ser utilizado na presença de qualquer uma das condições descritas a seguir:

  • Doença inflamatória pélvica atual ou recorrente (infecção dos órgãos reprodutores femininos);
  • Ocorrência ou suspeita de gravidez;
  • Infecção do trato genital inferior;
  • Infecção do útero após parto;
  • Infecção do útero após um abortamento ocorrido durante os últimos 3 meses;
  • Infecção do colo do útero;
  • Anormalidades celulares no colo do útero;
  • Ocorrência ou suspeita de câncer do colo do útero ou do útero;
  • Tumores que dependem do hormônio progestógeno para se desenvolver;
  • Sangramento vaginal anormal não diagnosticado;
  • Anormalidade do colo do útero ou do útero, incluindo leiomiomas, se estes causarem deformação da cavidade uterina;
  • Condições associadas com aumento de susceptibilidade a infecções;
  • Presença de doença hepática ou tumor hepático;
  • Hipersensibilidade ao medicamento ou a qualquer constituinte do produto.
VER TUDO

VÍDEOS

VASECTOMIA, LAQUEADURA TUBÁRIA – PLANEJAMENTO FAMILIAR – BLOCO 2

VASECTOMIA, LAQUEADURA TUBÁRIA – PLANEJAMENTO FAMILIAR – BLOCO 2

YYMMDD Author/Uploaded by

Método de contracepção definitivos: Vasectomia, Laqueadura Tubária, DIU e SIU (Dispositivo ou Sistema IntraUterino).

LER MAIS

ARTIGOS RELACIONADOS

NEWSLETTER

Para receber mais informações,
digite seu nome e e-mail.

As opiniões acima possuem caráter meramente informativo e não substituem a consulta a seu médico de confiança.

 

Não é finalidade deste site a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico aos usuários, tarefa esta reservada unicamente ao seu respectivo médico de confiança.