gravidez_laqueadura

É possível engravidar depois da laqueadura?

A laqueadura é um procedimento de esterilização definitiva da mulher que consiste em uma cirurgia simples, realizada por uma pequena incisão abdominal, que fecha as tubas uterinas impedindo a passagem do óvulo e do espermatozoide por meio do corte e amarração das duas extremidades das tubas uterinas.

Esse método não interfere na libido ou nas relações sexuais, nem apresenta efeitos colaterais no longo prazo. Além disso, caso a mulher ainda esteja amamentando, a produção de leite não é prejudicada.

Porém, a decisão de realizar a laqueadura deve ser tomada com muita cautela. Muitas mulheres sofrem depressão após realizarem o procedimento por não conseguirem absorver a ideia de não serem mais férteis, e se sentem menos femininas por isso. Outro motivo importante de arrependimento é quando as mulheres perdem algum filho ou trocam de parceiro e desejam engravidar novamente.

As mulheres que se arrependem do procedimento podem recorrer à reversão da laqueadura que, apesar de não ser simples, é possível em 80% dos casos. A condição necessária para que a reversão seja realizada com sucesso é que o final das tubas tenha sido preservado quando foi realizado o procedimento e que a tuba uterina não esteja dilatada. Essa cirurgia é realizada por laparoscopia, na qual são feitos pequenos cortes para a inserção de instrumentos e microcâmera que auxiliará no momento de religar as trompas.

A recuperação da fertilidade só será confirmada 30 dias após a operação, quando tiver ocorrido o ciclo menstrual completo. Apesar das chances de gravidez reduzirem até 20% após a reversão da laqueadura, as pacientes que passam pelo procedimento podem conseguir engravidar dentro do período de 12 meses. Vale ressaltar que não são todos os ginecologistas que realizam a reversão da laqueadura e que nem sempre isso é possível, por isso considera-se a laqueadura como sendo um método irreversível.

Antes de optar pela laqueadura como método de contracepção de longo prazo converse com seu ginecologista sobre outras opções de longo prazo, que são altamente eficazes e facilmente reversíveis, como o implante hormonal e o DIU (dispositivo intrauterino) medicado com hormônio ou de cobre, métodos que oferecem segurança e tranquilidade às pacientes que desejam evitar uma gestação não planejada, por 3, 5 ou até 10 anos.

Fonte:
HATCHER, R.A.; RINEHART,W.; BLACKBURN, R.; GELLER, J. S.; e SHELTON, J. D.; Pontos Essenciais da Tecnologia de Anticoncepção. Beltimore, Escola de Saúde Pública Johns Hopkins, Programa de Informação de População, 2001.

L.BR.12.2014.2823