Especial Endometriose

Confira aqui informações sobre:

• A dificuldade para o diagnóstico da endometriose
• Principais sintomas
• Seus sintomas são frescura?
• Check list dos sintomas
• Quais exames meu médico pode pedir?
• Você sabia? Curiosidades sobre a doença
• A Infertilidade e a Endometriose
• Existem formas de evitar a endometriose?
• O Tratamento da Endometriose

A dificuldade para o diagnóstico

A endometriose é uma doença ginecológica comum e pode afetar 10% das mulheres em idade fértil, mas mesmo sendo tão frequente o seu diagnóstico ainda é muito difícil.

Isso acontece porque a endometriose pode se apresentar de diferentes formas. Existem mulheres que não sentem nada, mulheres com sintomas leves até mulheres com sintomas muito intensos.

Estudos demonstram que a mulher pode demorar de 6 a 10 anos e passar 5 vezes ou mais por médicos até ter o diagnóstico de endometriose confirmado. O atraso costuma ser ainda maior em mulheres mais jovens e em casos mais severos.

A endometriose é uma importante causa de dor pélvica em adolescentes. Mais de 80% das portadoras de endometriose referem que os sintomas começaram na adolescência, um estudo em São Paulo demonstrou que os sintomas surgiram ao redor dos 15 anos de idade e o diagnostico foi confirmado apenas 3 anos após o início dos sintomas.

Sabemos que a endometriose é uma doença progressiva e que o diagnóstico e tratamento precoce podem desacelerar essa progressão. O surgimento precoce e seus sintomas diminuem as chances das mulheres praticarem exercícios físicos e reduzem o desempenho escolar gerando consequências e impactos socioeconômicos.

Fonte:

The practice committee of the American Society for Reproductive Medicine. Treatment of pelvic pain associated with endometriosis. Fertil Steril. 2008;90(3):S260-S269

Al Jefout M, Dezarnaulds G, Cooper M, et al. Diagnosis of endometriosis by detection of nerve fibres in an endometrial biopsy: a double-blind study. Hum Reprod.2009;24(12):3019-3024.

Andres MP, Podgaec S, Carreiro KB, Baracat EC. Endometriosis is na importante cause of pelvic pain in adolescence. Rev Assoc Med Bras.2014;60(6):560-564

Ballweg ML. Big Picture of endometriosis Helps provide guidance on approach to teens: Comparative historical data shows Endo starting younger, is more severe.J Pediatric Adolesc Gynecol.2003;16:S21-S26.

Ballweg ML. Treating Endometriosis in Adolescents: Does It Matter? J Pediatr Adolesc Gynecol 2011;24:S2-S6.

Principais sintomas

Se você tem os sintomas abaixo, converse com seu médico!

sintomatologia

E também…

sintomatologia2

Seus sintomas são frescura?

Como muitos sintomas podem acontecer em mulheres que não têm a endometriose, muitas vezes antes do diagnóstico as mulheres têm seus sintomas menosprezados.

De 4.000 mulheres com endometriose pesquisadas 61% receberam a informação de que “nada estava errado” com elas.

sintomatologia_sintomas

E muitas vezes quem disse que não havia nada de anormal foi um ginecologista:

quem_te_falou_isso

Fonte: Ballweg ML. Impact of endometriosis on women’s health: comparative historical data show that the earlier the onset, the more severe the disease. Best Pract Res Clin Obstet Gynaecol. 2004;18(2):201-218.

Check list dos Sintomas

Converse com seu médico / procure um médico caso você tenha assinalado algum dos itens abaixo:

  • Dor intensa durante a menstruação que leva ao uso de analgésicos para que você possa realizar suas atividades do dia-a-dia;
  • Dor intensa durante a menstruação que me obriga a interromper minhas atividades diárias;
  • Você já teve que faltar na escola / trabalho durante sua menstruação devido à dor;
  • Você tem dor pélvica (dor na região abaixo do umbigo) não só no seu período menstrual que a faz tomar analgésicos;
  • Você tem dor pélvica (dor na região abaixo do umbigo) não só no seu período menstrual que a faz faltar no trabalho/escola;
  • Você sente dor pélvica durante a prática de exercícios físicos;
  • Você sente dor durante a relação sexual;
  • Você tem história familiar de endometriose;
  • Você tem dor ou sangramento ao urinar durante o período menstrual;
  • Você tem dor ou sangramento ao evacuar durante o período menstrual;
  • Você não consegue engravidar.

Fonte: Questionário baseado nos artigos:

Zannoni L, Giorgi M, Spagnolo E, et al. Dysmenorrhea, Absenteeism from School, and Symptoms Suspicious for Endometriosis in Adolescents. J Pediatr Adolesc Gynecol. 2014;27:258-265.

Quais exames meu médico pode pedir?

Em primeiro lugar o seu médico vai ouvir sua história clínica e prestar atenção aos sinais e sintomas que você apresenta.

O exame físico ginecológico deve ser realizado logo em seguida. Durante o exame o médico poderá palpar o abdômen, examinar os órgãos genitais externos e realizar exame ginecológico incluindo toque vaginal e eventualmente toque retal.

Alguns exames complementares podem ser solicitados como a ultrassonografia transvaginal e abdominal (muitas vezes realizadas com preparo intestinal – esvaziamento do intestino) e ressonância magnética. A depender do caso outros exames podem ser realizados como colonoscopia, cistoscopia, ultrassonografia retal, laparoscopia entre outros.

Fonte:

Dunselman GAJ, Vermeulen N, Becker C, et al. ESHRE guideline: management of women with endometriosis. Hum Reprod. 2014;29(3):400-412.

Página de informações sobre endometriose da Sociedade Canadense de Ginecologia e obstetrícia, disponível em: http://www.endometriosisinfo.ca/treatment_e.aspx ; acessado em 08/06/17.

Você sabia?

A endometriose é uma doença caracterizada pela presença de tecido endometrial (revestimento interno normal do útero) em outros locais, mais comumente locais próximos dos órgãos reprodutores (útero, trompas, ovários, vagina).

Mais raramente pode acontecer de haver um foco de endometriose em locais mais distantes como: abdômen, bexiga, intestino, tórax, e até mucosa nasal. Existem relatos de endometriose nos músculos da perna, glúteos, cérebro e pulmão. Até 12% das mulheres com endometriose podem ter focos em locais distantes.

Existem muitas teorias sobre o motivo causador da endometriose, mas nenhuma é totalmente aceita. Fatores hereditários aparentam ter um papel importante, ou seja, se sua mãe ou irmã tem endometriose você tem 10x mais chances de ter endometriose também.

A endometriose é a causa mais comum de dor pélvica (região abaixo do umbigo) crônica, mas quando em locais diferentes pode causar sintomas diferentes.

Lembre-se, casos de endometriose em outros locais são raros e geralmente mais difíceis de diagnosticar.

Fonte:

Machairiotis N, Stylianaki A, Dryllis G, et al. Extrapelvic endometriosis: a rare entity or an under diagnosed condition? Diagn Pathol. 2013;2(8):194.

Davis AC, Goldberg JM. Extrapelvic Endomtriosis. Semin Reprod Med. 2017;35(1):98-101.

A Infertilidade e a Endometriose

Existem muitas teorias sobre o motivo causador da endometriose, mas nenhuma é totalmente aceita. Fatores hereditários aparentam ter um papel importante, ou seja, se sua mãe ou irmã tem endometriose você tem 10x mais chances de ter endometriose também.

Se você tem endometriose você pode adotar hábitos de vida mais saudáveis, exercícios regulares, práticas de relaxamento e uma alimentação balanceada podem amenizar os sintomas. Pode ser que você perceba que alguns alimentos pioram os sintomas. Fazer um diário para depois evitar esses alimentos também é uma ideia interessante.

Fonte:

Machairiotis N, Stylianaki A, Dryllis G, et al. Extrapelvic endometriosis: a rare entity or an under diagnosed condition? Diagn Pathol. 2013;2(8):194.

Página de informações sobre endometriose da Sociedade Canadense de Ginecologia e obstetrícia, disponível em: http://www.endometriosisinfo.ca/treatment_e.aspx ; acessado em 08/06/17.

Existem formas de evitar a endometriose?

Não existe como evitar a endometriose e também não existe cura, o que é possível e deve ser feito é tratar o quanto antes.

Dados de estudos demonstram que sem o devido tratamento a endometriose pode progredir e levar a sintomas cada vez mais intensos e comprometimento de outros locais que antes não estavam afetados.

Converse com seu médico para saber qual o melhor tratamento para você.

A Infertilidade pode acontecer ou não, depende de organismo para organismo e também de como a endometriose está presente no organismo (barreira física causada pelo foco em local específico)

Se você tem endometriose pode ser que você apresente dificuldade para engravidar, mas isso não é regra para todas as mulheres. Há estudos que demonstram que 30 a 50% das mulheres com endometriose tem infertilidade associada.

Dentre as mulheres que são inférteis, 25-50% delas tem endometriose. Ainda não sabemos ao certo como a endometriose pode causa infertilidade, em alguns casos a endometriose pode levar a obstrução das trompas, impedindo de forma mecânica a passagem do óvulo e espermatozoide, o entanto existem casos de mulheres com endometriose leve que não tem essa obstrução e que também não conseguem engravidar, acredita-se que a causa nestes casos seja uma resposta diferente do sistema imune.

A taxa de fecundidade de um casal fértil em idade reprodutiva é de 15-20% enquanto que a taxa de fecundidade de uma mulher com endometriose sem tratamento é somente de 2-10%.

Durante a investigação da causa de infertilidade não se pode deixar de excluir outros motivos, inclusive o parceiro deve ser investigado.

O tratamento da infertilidade em casos de endometriose pode envolver remoção cirúrgica de lesões ou reprodução assistida.

Fonte:

Fonte: Ballweg ML. Treating Endometriosis in Adolescents: Does It Matter? J Pediatr Adolesc Gynecol 2011;24:S2-S6

Página de informações sobre endometriose da Sociedade Canadense de Ginecologia e obstetrícia, disponível em:

Macer Ml, Taylor HS. Endometriosis and infertility: a review of the pathogenesis and treatment of endometriosis-associated infertility. Obstet Gynecol Clin North Am. 2012;39(4):535-49.

O Tratamento da Endometriose

Infelizmente não existe cura para a endometriose, nem um tratamento que seja melhor para todas. O ideal é sempre verificar com seu médico qual seria o mais adequado para você.

Existem diversos tratamentos que são usados para endometriose, alguns foram estudados e formulados especificamente para a endometriose e outros são usados pois na prática demonstram algum benefício.

Dentre os tratamentos não cirúrgicos existem: medicamentos que combatem a dor (analgésicos, anti-inflamatórios), pílulas contraceptivas contínuas ou com pausa, pílulas de progesterona ou mini pílula, medicamentos com progesterona (Dienogeste), contraceptivos injetáveis, análogos de GnRH (aGnRH), DIU hormonal e acupuntura.

Pode ser que procedimentos cirúrgicos sejam necessários, geralmente quando os sintomas não melhoram com os tratamentos clínicos, em casos de endometriose severa ou muito extensa, em caso de dúvida diagnóstica, em caso de infertilidade com desejo de engravidar. Os procedimentos podem ser: conservador (geralmente por vídeo que retira as lesões mas preservam os órgãos) ou definitivo (costuma remover os ovários e eventualmente útero e trompas dentre outros).

Antes de escolher o tratamento vale lembrar que a endometriose é uma doença crônica, assim devemos pensar em longo prazo.

tabela_remedios

Fonte:

Dunselman GAJ, Vermeulen N, Becker C, et al. ESHRE guideline: management of women with endometriosis. Hum Reprod. 2014;29(3):400-412.

Página de informações sobre endometriose da Sociedade Canadense de Ginecologia e obstetrícia, disponível em: http://www.endometriosisinfo.ca/treatment_e.aspx ; acessado em 08/06/17.

L.BR.MKT.07.2017.8155