CERVICITE OU ENDOCERVICITE

A cervicite, também conhecida por endocervicite, é uma inflamação do colo do útero provocada por uma variedade de organismos. Já a cervicite crônica é uma alteração no colo do útero que não causa problemas a mulher e acomete em maior proporção mulheres após o parto e que usam pílula.

 

Essa inflamação pode ser causada por outras doenças sexualmente transmissíveis, como gonorreia, herpes, clamídia e infecções bacterianas. Outra causa possível para a Cervicite é a sensibilidade causada por determinados produtos químicos, como os dos espermicidas das camisinhas e até mesmo dos tampões vaginais.

 

Fontes:

Dr. Sérgio dos Passos Ramos CRM17.178 – SP

 

Lima, Geraldo Rodrigues de; Girão, Manoel J.B.C.; Baracat, Edmund Chada. Doenças Sexualmente Transmissiveis. In: Ginecologia de Consultório. 2003.1ª Edição. P.193-210. Editora de Projetos Médicos. São Paulo-SP.

SINTOMAS

Os sintomas da Cervicite geralmente não são observados, mas há casos em que se notam os seguintes sinais e sintomas:

 

  • Irritação;
  • Vermelhidão no local;
  • Corrimento (sai do colo do útero e pode se exteriorizar pela vagina);
  • Perda de sangue após a relação sexual;
  • Dor pélvica;
  • Febre.

 

Fontes:

Dr. Sérgio dos Passos Ramos CRM17.178 – SP

Lima, Geraldo Rodrigues de; Girão, Manoel J.B.C.; Baracat, Edmund Chada. Doenças Sexualmente Transmissiveis. In: Ginecologia de Consultório. 2003.1ª Edição. P.193-210. Editora de Projetos Médicos. São Paulo-SP.

DIAGNÓSTICO

A cervicite ou a endocervicite é uma inflamação no colo do útero que normalmente surge em mulheres entre 18 a 25 anos de idade. Sua forma mais comum é a bacteriana e em muitos casos a mulher não apresenta sintomas da doença. Por esse motivo, é de grande importância que os exames ginecológicos sejam realizados no intervalo de tempo recomendado para que não haja o avanço do quadro de inflamação e possíveis complicações, como a perda da fertilidade.

 

A maioria das mulheres não apresenta sintomas relacionados com a doença ou estes são inespecíficos. As evidências clássicas de cervicite são dor intensa na região abdominal, dor durante as relações sexuais, febre, sangramento fora do período menstrual e secreção vaginal espessa.

 

O diagnóstico da doença é realizado por meio de exames ginecológicos, sendo o principal deles o Papanicolau. Durante esse exame o médico pode observar o colo do útero e colher amostras para a análise laboratorial. Trata-se de um exame simples e indolor, capaz de fornecer um diagnóstico preciso sobre a inflamação.

 

Ao apresentar algum dos sintomas procure imediatamente o seu ginecologista. E, mesmo que não seja notado nada de diferente, não deixe de realizar os exames ginecológicos de rotina, eles são fundamentais para a sua saúde e para a preservação da fertilidade.

 

Fonte:

IARC; Lesões inflamatórias do colo uterino. Disponível em: http://screening.iarc.fr/doc/colpochapterpt09.pdf. Acesso em 13/03/2018.

EXAMES

Para diagnosticar corretamente a cervicite é indicado o exame de colo, realizado pelo colposcópio ou a olho nu. Também pode ser requerido uma cultura de secreção, mas esse procedimento deve ser realizado com cuidado para evitar o diagnóstico equivocado.

 

Fonte:

Lopes, Antonio Carlos. Diagnóstico e Tratamento. In: Infecções pelo papilomavírus humano. 2007. Volume 3. P. 393 – 400. Editora Manole. Barueri – SP.

PREVENÇÃO

Para prevenir a cervicite o primeiro passo é usar camisinha em todas as relações sexuais, uma vez que muitas bactérias que causam a inflamação são transmitidas por relações sexuais. Manter a higiene sempre em dia também ajuda a evitar a contaminação por micro-organismos presentes no ânus.

 

Seguir uma dieta equilibrada e praticar exercícios físicos com regularidade são poderosas ferramentas contra as inflamações uterinas, como a cervicite. Além de fortalecer o sistema imunológico, manter a alimentação saudável e a prática de exercícios aumenta a disposição.

 

O exame de Papanicolaou deve ser realizado periodicamente conforme orientação do seu ginecologista. Este é um dos exames que pode auxiliar a verificar se há alguma inflamação no colo do útero, o que poderá levar a um diagnóstico preciso.

 

Visite seu ginecologista com regularidade e esclareça com ele todas as suas dúvidas. Somente esse profissional pode te orientar e, com a ajuda de exames, diagnosticar e tratar doenças que podem até mesmo comprometer a sua fertilidade.

 

Fonte:

IARC; Lesões inflamatórias do colo uterino. Disponível em: http://screening.iarc.fr/doc/colpochapterpt09.pdf. Acesso em 13/03/2018.

TRATAMENTOS E CUIDADOS

O tratamento da cervicite é realizado com o uso de antibióticos específicos contra as bactérias causadoras da infecção e durante sua realização é recomendada a interrupção de relações sexuais. O parceiro da paciente também deve ser examinado para verificar se há alguma bactéria presente no órgão genital masculino para realizar o tratamento.

 

Como os sintomas nem sempre aparecem, é preciso realizar o exame ginecológico de rotina, o Papanicolau, de acordo com a recomendação médica, e eventualmente outros exames. Caso seja visualizado algum indício de cervicite, o tratamento deve ser iniciado imediatamente visando preservar a fertilidade de mulher.

 

Não deixe de visitar seu ginecologista regularmente e realizar todos os exames indicados. Esses procedimentos são essenciais para a manutenção da sua saúde ginecológica e garantir seu bem-estar.

 

Fonte:

IARC; Lesões inflamatórias do colo uterino. Disponível em: http://screening.iarc.fr/doc/colpochapterpt09.pdf. Acesso em 13/03/2018.

PERGUNTAS FREQUENTES

QUANDO NÃO OCORRE A FECUNDAÇÃO, O ÓVULO SAI COM A MENSTRUAÇÃO? ESTE MÊS, DURANTE MINHA MENSTRUAÇÃO, SAIU ALGO GELATINOSO, MEIO TRANSPARENTE, ARREDONDADO, COM OUTRO CÍRCULO MAIS ESCURO NO MEIO. NUNCA TINHA ACONTECIDO, POR ISSO DEI TANTA ATENÇÃO.

Não. O óvulo é microscópico, não pode ser visto a olho nu.

O DIU Hormonal pode me proteger do HIV ou de ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis)?

Não. O DIU Hormonal não fornece proteção contra o HIV ou ISTs.

Tenho uma filha de 15 anos e gostaria de ter outro filho. Estou tentando engravidar há 4 meses, não uso anticoncepcional, mas até agora não engravidei. Isso pode ser sinal de infertilidade?

Para que haja suspeita de infertilidade, deve haver pelo menos um ano de tentativa de engravidar. Isso significa ter relações sexuais frequentes, principalmente na janela fértil. Muitos casais acham que não podem engravidar após uma ou duas tentativas, e isso não é correto. O tempo mínimo de espera é um ano. Em mulheres acima de 35 anos é recomendável procurar um especialista em reprodução humana se não engravidarem em seis meses.

Gostaria de saber se, ao usar o anel vaginal contraceptivo, posso aplicar pomada intravaginal ou não.

Os trabalhos científicos sobre anel vaginal contraceptivo mostram que não existe interação entre pomadas vaginais e o anel. Mas lembre-se de avisar seu médico sobre todos os medicamentos que usa, inclusive o anel vaginal contraceptivo, para receber a informação adequada.

VER TUDO

VÍDEOS

COM RELAÇÃO AS INFECÇÕES VAGINAIS, COMO PREVENIR? - GINECO RESPONDE EP.06

COM RELAÇÃO AS INFECÇÕES VAGINAIS, COMO PREVENIR? - GINECO RESPONDE EP.06

YYMMDD Author/Uploaded by

No 6o episódio da série Gineco Responde, a Dra Iara M. Linhares — CRM 29034, fala sobre os cuidados de higiene e fatores de risco associados as Infecções Vaginais. Sexo anal, múltiplos parceiros, drogas e álcool podem ser considerados fatores de risco e aumentar as chances de uma infecção vaginal.

LER MAIS

ARTIGOS RELACIONADOS

NEWSLETTER

Para receber mais informações,
digite seu nome e e-mail.

As opiniões acima possuem caráter meramente informativo e não substituem a consulta a seu médico de confiança.

 

Não é finalidade deste site a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico aos usuários, tarefa esta reservada unicamente ao seu respectivo médico de confiança.