interacoes_pilulas_materia

Mito ou verdade? Veja o que pode interferir na eficácia do seu anticoncepcional

Você sabia que certos medicamentos ou condições podem interferir com a eficácia das pílulas anticoncepcionais?

Vômito e Diarreia:
Se até 4 horas após ter ingerido a pílula você apresentar vômitos ou quadro de diarreia intensa, por exemplo, os hormônios presentes na pílula podem não ser adequadamente absorvidos pelo organismo, o que causaria uma diminuição da eficácia contraceptiva.

Cirurgia bariátrica e Doenças do Intestino:
Pessoas com outras condições que prejudicam a absorção dos hormônios através do trato gastrointestinal também podem sofrer com a perda da eficácia, veja algumas das situações que podem afetar sua pílula: pacientes que fizeram redução do estômago por obesidade (cirurgia bariátrica), doenças inflamatórias intestinais (ex: doença de Chron, doença celíaca e etc), entre outras.

Alguns medicamentos, por conta do mecanismo de absorção e atuação no organismo também podem interferir com o efeito das pílulas.

Medicamentos de uso contínuo e fitoterápicos:
Grande parte dos medicamentos utilizados para tratar a epilepsia (anticonvulsivantes), produtos que contenham erva de São João (comumente utilizados para tratar depressão), alguns medicamentos para o tratamento do HIV e da tuberculose também podem interferir na eficácia das pílulas anticoncepcionais orais.

Antibióticos:
Uma interação importante é a das pílulas contraceptivas com certos medicamentos utilizados para tratar infecções causadas por fungos, uma infecção fúngica frequente nas usuárias de pílulas é a candidíase (corrimento vaginal que costuma causar coceira). Além destes medicamentos, outros antibióticos, frequentemente utilizados para tratar infecção de urina, de garganta, sinusite, rinite e algumas doenças sexualmente transmissíveis também podem comprometer a eficácia de seu tratamento.

Suco de Grapefruit:
Existem muitos outros medicamentos que podem afetar as pílulas até o suco de toranja (Grapefruit) pode acabar interferindo na absorção dos hormônios contidos nos anticoncepcionais orais.
Por todos esses motivos apresentados é que é importante comunicar seu médico ou dentista sobre todos os medicamentos que você esteja utilizando, e adotar um método contraceptivo adicional, como a camisinha a fim de evitar que falhas ou efeitos colaterais indesejáveis aconteçam.

Dra. Thaís Emy Ushikusa – CRM 127124
Médica ginecologista e obstetra.

L.BR.07.2014.2125