QUE DOR DE CABEÇA É ESSA?

Que levante a mão quem nunca sofreu com dores de cabeça. Seja depois de um dia estressante de trabalho ou por algum resfriado, a sensação de cabeça pesada e dolorida não perdoa ninguém. Na maioria das vezes um analgésico pode resolver o incômodo. Mas como existem diversos tipos de dores de cabeça, cada um com sua característica própria, antes de se automedicar, é fundamental saber a causa da dor.

 

O tipo mais comum é a cefaleia tensional, causada por estresse, cansaço ou problemas de visão, como miopia não tratada. Pode durar horas ou dias e se intensifica com o esforço físico e mental.
Já a cefaleia em salvas é um tipo intenso e raro de causa ainda desconhecida. Pode ocorrer várias vezes ao dia, acompanhada de congestão nasal, contração da pupila, tontura e suor excessivo.

 

A enxaqueca, doença ainda sem causa definida, é o tipo mais popular de dor de cabeça e atinge milhões de pessoas no mundo, sendo que dos pacientes afetados, 80% são mulheres e 20% são homens. Suas principais características são: dor intensa em apenas um dos lados da cabeça, intolerância à luz e ao barulho, mal estar, enjoo, vômitos e tontura.

 

Que dor de cabeça é essa?

Pesquisas neurológicas indicam que a predileção pelo público feminino é determinada pelo estrogênio (hormônio feminino), principalmente se a paciente já tiver histórico familiar de enxaqueca. A queda desse hormônio no período menstrual, principalmente nos dias de tensão pré-menstrual (TPM), faz com que a enxaqueca dispare, indicando o papel do hormônio na proteção contra dores de cabeça.

 

Isso é comprovado quando observamos mulheres que têm enxaqueca e engravidam. Durante os nove meses de gestação, o corpo feminino atinge o auge de produção hormonal, incluindo de estrogênio. Com isso, 65% das grávidas apresentam melhora das dores de cabeça logo no terceiro mês de gestação, mas voltam a sentir o incômodo após o parto.

 

Caso você sofra de algum tipo de dor de cabeça, procure por um neurologista para investigar as causas, pois somente um profissional especializado é capaz de indicar o tratamento correto para o seu problema.

 

Fonte:

VARELLA, Dráuzio. Dor de Cabeça. Disponível em: http://drauziovarella.com.br/letras/c/dor-de-cabeca/. Acesso em 12 de dezembro de 2016
VEJA. Por que as mulheres sofrem mais com as enxaquecas? Disponível em: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/enxaqueca-e-a-mulher-por-que-elas-sofrem-mais. Acesso em 12 de dezembro de 2016.

PERGUNTAS FREQUENTES

Tenho muita dor de cabeça e cólica durante a pausa da pílula. É normal? O que pode ser feito?

Isso pode ocorrer com algumas mulheres e o motivo parece ser uma resposta à diminuição abrupta do estrogênio durante o período da pausa da pílula. Esse “fenômeno” é incomum e ocorre em uma minoria de mulheres. Existem possibilidades de tratamento sem a necessidade de suspensão do uso das pílulas. Seu ginecologista é a pessoa mais indicada para propor o melhor tratamento para o seu caso.

Tomei diferentes tipos de pílulas e sempre tive efeitos colaterais, como dores de cabeça, perda do interesse sexual e nervosismo. Outros métodos hormonais que não sejam via oral podem melhorar esse efeito?

Os efeitos colaterais dos métodos anticoncepcionais hormonais, independentemente da via de administração, são variáveis de pessoa para pessoa. Consulte um médico, que lhe ajudará a escolher a melhor alternativa para seu caso.

Com que frequência devo consultar meu médico após a inserção do DIU Hormonal?

Após a inserção do DIU Hormonal, é recomendável que seja realizada uma consulta em um período de 4 a 2 semanas para verificar a colocação correta e quaisquer problemas. Posteriormente, é recomendado que se realizem retornos anuais ou mais frequentemente se for clinicamente indicado por seu médico.

Meu ciclo menstrual mudará com o DIU Hormonal?

Depois que o organismo se adaptar, seu ciclo menstrual poderá se tornar irregular. Você também poderá observar manchas ou leve sangramento. Após seu corpo se ajustar, o número de dias de sangramento deverá diminuir e, em algumas usuárias, pararão completamente enquanto o DIU Hormonal for utilizado. Isto não será prejudicial à sua saúde. Seu ciclo menstrual retornará ao normal após a remoção do DIU Hormonal.

VER TUDO

VÍDEOS

Mitos e Verdades sobre Contracepcao de Longo Prazo

Mitos e Verdades sobre Contracepcao de Longo Prazo

YYMMDD Author/Uploaded by

A ginecologista e obstetra Dra. Thais Ushikuza esclare as principais duvidas e mitos sobre os métodos de contraceptivos de longo prazo

LER MAIS

ARTIGOS RELACIONADOS

NEWSLETTER

Para receber mais informações,
digite seu nome e e-mail.

As opiniões acima possuem caráter meramente informativo e não substituem a consulta a seu médico de confiança.

 

Não é finalidade deste site a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico aos usuários, tarefa esta reservada unicamente ao seu respectivo médico de confiança.