CALENDÁRIO SPOTTING: COMO SE ADAPTAR AO SANGRAMENTO DE ESCAPE?

Spotting ou sangramento de escape é um leve sangramento que ocorre fora da época do fluxo menstrual. Pode ser causado pelo uso de métodos anticoncepcionais. É um sintoma muito comum durante o período de adaptação a um contraceptivo, mesmo com uso regular. Continue a leitura para saber mais sobre o spotting e como se adaptar.

 

Quando o spotting pode acontecer?

 

A troca ou o recomeço do uso do anticoncepcional pode causar sangramento vaginal parecido com uma menstruação, porém mais leve, pois o corpo está se adaptando aos níveis hormonais do contraceptivo. Neste caso, a mulher usa um absorvente por dia. Cerca de três meses depois, o sangramento tende a parar.

 

A partir deste conceito, o portal Gineco desenvolveu o “Calendário Spotting”, especialmente para a mulher que deseja iniciar um novo contraceptivo oral e precisa acompanhar a adaptação do corpo durante este período. Baixe o calendário Spotting do portal Gineco para o controle e acompanhamento da sua adaptação.

 

Mulher desanimada com spotting - Gineco

O que fazer em caso de spotting?

 

Se não vier acompanhado de sintomas, geralmente não é preciso interromper do uso do anticoncepcional. A continuidade fará seu organismo se adaptar ao contraceptivo. No caso das pílulas, a tomada diária, respeitando o mesmo horário, fará o sangramento parar em pouco tempo.

 

Caso o sangramento persista por mais de três meses ou se torne intenso, converse com o médico para avaliar a necessidade de trocar o método anticoncepcional.

 

Referências

 

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia. Manual de Orientação Anticoncepção. Disponível em: http://professor.pucgoias.edu.br/SiteDocente/admin/arquivosUpload/13162/material/ANTICONCEP%C3%87%C3%83O%20-%20FEBRASGO%202010.pdf. Acesso em: 05.12.2020

 

Planejamento Familiar. UM MANUAL GLOBAL PARA PROFISSIONAIS E SERVIÇOS DE SAÚDE. Disponível em: https://www.gineco.com.br/wp-content/uploads/2018/11/planejamento-familiar-um-manual-global-para-profissionais-e-servicos-de-saude.pdf. Acesso em: 05.12.2020

 

Revista Femina. Vol 44 - nº3- 2016. Disponível em: https://www.gineco.com.br/wp-content/uploads/2018/11/revista-feminina-gravidez-nao-desejada-uso-de-larc-pode-evitar-mortes-maternas-e-infantis.pdf. Acesso em: 05.12.2020

 

Guazzelli CA, Barbieri M, Pinto CL, Torloni MR. Manejo do sangramento inesperado em usuárias de métodos contraceptivos hormonais: revisão das recomendações atuais. Femina. 2010. Disponível em: https://www.gineco.com.br/wp-content/uploads/2018/11/manejo-do-sangramento-inesperado-em-usuarias-de-metodos-contraceptivos-hormonais-revisao-das-recomendacoes-atuais.pdf. Acesso em: 05.12.2020

PERGUNTAS FREQUENTES

É normal me sentir enjoada, com desconforto nos seios e ter sangramentos (spotting) quando comecei a tomar pílula?

No início do uso da pílula anticoncepcional é comum ocorrerem alguns desconfortos como enjoo, incômodo nos seios e pequenos sangramentos. Recomenda-se não tomar a pílula de estômago vazio para amenizar estes sintomas. Sobre os sangramentos de escape ou spotting são mais comuns em mulheres que usam pílulas com baixa dosagem hormonal, que no início ainda não fornecem estímulo hormonal suficiente para cicatrizar a camada interna do útero logo após o término da menstruação. Esses sintomas variam de mulher para mulher e devem cessar em poucos meses, pois trata-se de um processo de adaptação do corpo ao hormônio que está sendo ingerido, e isso é normal. Caso esses sintomas não desapareçam em três meses, procure seu ginecologista.

Meu sangramento menstrual é muito intenso. Há alguma forma de reduzir o sangramento sem deixar de menstruar?

Existem diversas formas de diminuir o fluxo menstrual sem que haja prejuízo para sua saúde. Converse com seu médico para que juntos possam escolher qual a melhor opção para você.

Onde posso saber mais sobre o DIU Hormonal?

Para saber mais sobre o tratamento com o DIU Hormonal, consulte seu médico. Ele poderá fornecer informações adicionais a você e a seu parceiro.

Quando não devo usar o DIU Hormonal?

O DIU Hormonal não deve ser utilizado na presença de qualquer uma das condições descritas a seguir:

  • Doença inflamatória pélvica atual ou recorrente (infecção dos órgãos reprodutores femininos);
  • Ocorrência ou suspeita de gravidez;
  • Infecção do trato genital inferior;
  • Infecção do útero após parto;
  • Infecção do útero após um abortamento ocorrido durante os últimos 3 meses;
  • Infecção do colo do útero;
  • Anormalidades celulares no colo do útero;
  • Ocorrência ou suspeita de câncer do colo do útero ou do útero;
  • Tumores que dependem do hormônio progestógeno para se desenvolver;
  • Sangramento vaginal anormal não diagnosticado;
  • Anormalidade do colo do útero ou do útero, incluindo leiomiomas, se estes causarem deformação da cavidade uterina;
  • Condições associadas com aumento de susceptibilidade a infecções;
  • Presença de doença hepática ou tumor hepático;
  • Hipersensibilidade ao medicamento ou a qualquer constituinte do produto.
VER TUDO

VÍDEOS

A Escolha do Método Contraceptivo

A Escolha do Método Contraceptivo

YYMMDD Author/Uploaded by

1 em cada 2 mulheres no Brasil tem uma gravidez não planejada. Com adolescentes este número é ainda maior: cerca de 4 em cada 5 gravidezes não foram planejadas. Porque ainda enfrentamos este tipo de problema se temos tantos métodos contraceptivos disponíveis? A maioria das mulheres não conhece todos os métodos contraceptivos disponíveis, principalmente os de longo prazo. Os métodos contraceptivos de longo prazo são 20 vezes mais eficazes que as pílulas, adesivos e anéis Não deixe nada atrapalhar os seus planos. converse com seu médico e escolha o melhor método contraceptivo para você.

LER MAIS

ARTIGOS RELACIONADOS

NEWSLETTER

Para receber mais informações,
digite seu nome e e-mail.

As opiniões acima possuem caráter meramente informativo e não substituem a consulta a seu médico de confiança.

 

Não é finalidade deste site a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico aos usuários, tarefa esta reservada unicamente ao seu respectivo médico de confiança.