EXAMES DE LABORATÓRIO

São exames complementares aos exames ginecológicos de rotina, realizados em laboratórios ou clínicas especializadas. São solicitados pelos médicos para possibilitar ou confirmar o diagnóstico de uma doença.

 

Há vários tipos de exames laboratoriais: de sangue (hemograma), de urina, mamografia, entre outros.

 

Os principais exames requeridos pelos médicos ginecologistas são:

 

  • Mamografia;
  • Laparoscopia;
  • Densitometria Óssea;
  • Ressonância nuclear magnética (Mama);
  • Ultrassonografia Endovaginal, Ginecológica e Obstétrica;
  • Ultrassom das mamas;
  • Ultrassonografia para Endometriose;
  • Captura Híbrida – HPV.

 

Exames de laboratório

Mamografia:

É o método mais recomendado para o diagnóstico precoce do câncer de mama. De alta sensibilidade, pode mostrar o câncer muito antes deste ser palpável. É o único exame que consegue detectar microcalcificações, que dependendo da forma e da distribuição, podem indicar a fase inicial de um câncer. Indicado para mulheres com mais de 40 anos de idade.

 

Laparoscopia:

É um procedimento diagnóstico e terapêutico, que possibilita o exame e a realização de cirurgias através de pequenas, cânulas de metal que são inseridas no abdômen. Atualmente, a visualização interna acontece por intermédio de câmeras de vídeo miniaturizadas sendo este processo conhecido como videolaporascopia. Ambos os procedimentos precisam de anestesia geral e internação hospitalar. É indicada, principalmente, para o diagnóstico e tratamento da endometriose e infertilidade.

 

Densitometria Óssea: 

Por meio de raios-X, propõe medir a densidade mineral no segmento ósseo, avaliando-a de acordo com os padrões de idade e sexo. É o principal elemento de diagnóstico da osteoporose. Com a medição da densidade, é possível verificar a possibilidade de futuras fraturas e o nível da osteoporose.

 

Ressonância Nuclear Magnética (RM): 

Esse exame consiste em colocar a pessoa em um campo magnético, a fim de realizar exames de imagem de alta complexidade, mostrando detalhes não vistos nos exames de radiologia geral. A Ressonância Magnética pode ser realizada em diversas partes do corpo e será solicitada de acordo com o diagnóstico médico.

 

Ressonância Nuclear Magnética de Mama (RM): 

É a RM realizada para analisar a mama através de campo magnético intenso, ou seja, sem radiação como no caso da mamografia. Não substitui a mamografia e o exame clínico da mama.

 

Ultrassonografia Endovaginal, Ginecológica e Obstétrica: 

O exame de ultrassonografia é totalmente indolor e não ocasiona nenhum incômodo. Consiste em fazer deslizar sobre a pele um pequeno aparelho chamado transdutor, que emite ondas sonoras de alta frequência (dois milhões a 20 milhões de hertz), inaudíveis pelo ouvido humano, que são captadas de volta sob a forma de eco.

A ultrassonografia endovaginal, emite ondas sonoras inaudíveis para examinar a parte interior do organismo feminino. Já o exame ginecológico ou pélvico é feito através do abdômen e com a bexiga cheia. E por último, a ultrassonografia obstétrica é realizada quando a paciente está grávida.

 

Ultrassom da Mama: 

É um método de imagem que permite avaliar a glândula mamária e detectar lesões (nódulos, por exemplo). Pode indicar se o nódulo é benigno ou maligno.

 

Ultrassonografia para diagnóstico de Endometriose: 

O ultrassom especializado para diagnosticar a Endometriose Detecta problemas no ovário e suas sequelas, que podem afetar bexiga, ligamento, intestino, entre outros. Quando há o diagnóstico da Endometriose, o resultado auxilia o médico em uma futura cirurgia.

 

Captura Híbrida no Diagnóstico do HPV: 

Diagnostica a presença do vírus mesmo antes da paciente apresentar os sintomas. Para a realização desse exame, o médico introduz o espéculo e, com o auxílio de uma escovinha delicada, coleta amostras de secreção do colo uterino, da vagina ou da vulva. Após a coleta, o material é encaminhado ao laboratório. O preparo para o exame deve ser seguido à risca: não ter relações sexuais três dias antes do exame; não estar menstruada; não ter usado qualquer tipo de ducha ou creme vaginal na última semana.

 

Fontes:

Dr. Sérgio dos Passos Ramos CRM 17.178 – SP

Gonzalez, Helcye. Exames em ginecologia. Enfermagem em ginecologia e obstetrícia. P19-33. 2005. 11ª Edição. Editora Senac. São Paulo – SP

PERGUNTAS FREQUENTES

TOMO PÍLULA REGULARMENTE. MEU DIA FÉRTIL CONTINUA SENDO O 14º? QUANDO OCORRE A OVULAÇÃO DE QUEM TOMA PÍLULA? ESQUECI UM DIA (ERA EXATAMENTE O 14º DIA), DEPOIS DISSO NÃO TIVE MAIS RELAÇÕES SEXUAIS E VOLTEI A TOMAR NORMALMENTE, MAS SEM TOMAR AS DUAS JUNTAS.

A pílula anticoncepcional é anovulatória, portanto, suspende a ovulação. Não há dia fértil para quem toma a pílula corretamente.

Posso engravidar durante a pausa da pílula, mesmo se não ocorrer menstruação?

Se a pílula estiver sendo tomada corretamente, as chances de gravidez são mínimas.

Qual é a porcentagem de eficiência da pílula anticoncepcional?

Se tomada corretamente, o índice de falha é 0,1%, a eficiência é 99,9%.

Gostaria de saber o que eu devo fazer no caso de ter amarrado ou retirado as trompas. O que eu posso fazer para reverter o procedimento e ficar grávida?

Pode ser feita uma cirurgia de recanalização da trompa ou procedimentos de fertilização assistida.

VER TUDO

VÍDEOS

VOCÊ CONHECE OS MÉTODOS DE CONTRACEPÇÃO DE LONGO PRAZO?

VOCÊ CONHECE OS MÉTODOS DE CONTRACEPÇÃO DE LONGO PRAZO?

YYMMDD Author/Uploaded by

Diu de Cobre, Diu Hormonal (SIU) e Implante contraceptivo. Saiba mais sobre os métodos contraceptivos de longo prazo.

LER MAIS

ARTIGOS RELACIONADOS

NEWSLETTER

Para receber mais informações,
digite seu nome e e-mail.

As opiniões acima possuem caráter meramente informativo e não substituem a consulta a seu médico de confiança.

 

Não é finalidade deste site a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico aos usuários, tarefa esta reservada unicamente ao seu respectivo médico de confiança.